A importância da integração entre o conhecimento técnico e prático nas empresas

A importância da integração entre o conhecimento técnico e prático nas empresas

Uma das coisas mais din√Ęmicas e poderosas que alguém pode ter é o conhecimento. É o conhecimento que promove a mudança no mundo, que transforma vidas e que faz com que g√™nios sejam descobertos. Sem conhecimento, ninguém conquista nenhum objetivo em sua vida.

Existem v√°rias formas de conhecimento. Entre elas, estão o conhecimento técnico e o conhecimento pr√°tico. Voc√™ sabe o que significa cada um deles, querida pessoa? E sabe como cada um pode contribuir com o crescimento de profissionais e de empresas? As respostas para essas e outras perguntas estão neste artigo, preparado especialmente para voc√™. Confira!

O que é o conhecimento técnico?

O conhecimento técnico est√° relacionado a um processo de fazer as coisas com a sabedoria obtida por meio da observação e da realização de testes. Essa expressão se refere àqueles saberes mais tradicionais, geralmente transferidos por meio de escolas, universidades, cursos técnicos, mentores, palestras, livros, entre outros meios.

Esse tipo de conhecimento é codific√°vel, ou seja, pode ser expresso em leis, fórmulas, teoremas, ciclos, processos, entre outros métodos cient√≠ficos. Por isso, o conhecimento técnico é lógico, teórico e racional. Geralmente, torna-se acess√≠vel à sociedade por meio da escrita, de forma p√ļblica e expl√≠cita.

O conhecimento técnico é produzido por meio de perguntas sobre a vida, sobre o mundo, sobre a natureza, sobre a humanidade, enfim, sobre tudo aquilo que faz parte da nossa exist√™ncia. Por conta disso, esse tipo de conhecimento é mais atribu√≠do aos estudiosos e especialistas, conferindo-lhes um status elevado na sociedade.


O que é o conhecimento pr√°tico?

Como o nome sugere, de forma bem expl√≠cita, o conhecimento pr√°tico é aquele adquirido na pr√°tica: trata-se do conhecimento popular obtido por meio das tentativas, erros e acertos. Ao contr√°rio do conhecimento técnico, ele nem sempre obedece a um padrão, sendo que pode não ser poss√≠vel estabelecer a sua estrutura.

O conhecimento pr√°tico tem a finalidade de atender a atividades simples, mais relacionadas ao cotidiano das pessoas. Ele aparece em contextos espec√≠ficos e é mais dif√≠cil de ser codificado. É o caso, por exemplo, daquelas receitas que são transmitidas entre as gerações de uma fam√≠lia, mesmo que ninguém as tenha escrito.

Por conta disso, o conhecimento pr√°tico est√° mais relacionado à informalidade, à oralidade, à observação e à experimentação por tentativa e erro. Esse tipo de conhecimento é também moral e emocional, pois tem o objetivo de auxiliar as pessoas a conduzir bem as suas vidas, em determinado aspecto.

Exemplos, experimentos, demonstrações, histórias e met√°foras são algumas das possibilidades de transmissão do conhecimento pr√°tico, ao qual geralmente não é atribu√≠do um status tão elevado quanto o conhecimento técnico.

Por que apenas o conhecimento técnico não é ideal?

Ao ler as definições acima, voc√™ j√° deve ter chegado à conclusão de que a sociedade, de maneira geral, confere certa prefer√™ncia ao conhecimento técnico. Como tem um car√°ter mais oficial e cient√≠fico, ele indica estudos acad√™micos e é o que costuma ser mais cobrado num emprego, por exemplo.

No entanto, é preciso desmistificar essa ideia de que o conhecimento pr√°tico não é tão importante. No dia a dia, todos nós precisamos saber como conduzir um bom relacionamento com as pessoas ao nosso redor, como dirigir, como cozinhar, como obter uma informação, como convencer alguém numa discussão, como administrar as nossas emoções, como resolver conflitos, entre outros saberes que podem não estar nos livros ou nas escolas.

Um empreendedor, por exemplo, tem que estar pronto para qualquer eventualidade, assim como os seus funcion√°rios. O que muitas vezes acontece, porém, é que os profissionais possuem apenas o conhecimento técnico, faltando o conhecimento pr√°tico do dia a dia — que é tão importante quanto a preparação lógica.

Não adianta, por exemplo, que um advogado conheça todas as leis de uma determinada √°rea, mas não saiba encontrar brechas, acalmar o seu cliente, construir uma linha argumentativa convincente, obter a confiança das testemunhas, entre outras questões pr√°ticas que de fato lhe permitam ganhar o seu caso.

É preciso investir nos dois lados da moeda do conhecimento

Como é poss√≠vel perceber, a verdade é que não se pode amenizar a import√Ęncia de nenhum dos dois tipos de conhecimento. Ambos são importantes em nossas vidas pessoais e profissionais. Enquanto um se adquire de forma mais teórica e acad√™mica, o outro se desenvolve no dia a dia. Para isso, precisamos nos arriscar e nos expor às possibilidades de aprendizado que o mundo oferece diariamente.

Dessa forma, quando h√° uma fusão desses dois conhecimentos, o indiv√≠duo est√° pronto para enfrentar o mercado. Imagine, por exemplo, os conhecimentos de um engenheiro formado, somados à experi√™ncia de um pedreiro — tudo isso em uma √ļnica pessoa. Certamente, esse indiv√≠duo seria capaz de edificar grandes construções, não é mesmo?

O conhecimento técnico tem muita import√Ęncia dentro de uma organização, e nem mesmo o conhecimento pr√°tico pode super√°-lo. Esse conhecimento est√° nos manuais da empresa e serve como base para treinamentos. Em termos organizacionais, é sempre bom contar com alguém que possui vasto know-how e que saiba movimentar um setor.

No entanto, a teoria e a técnica não são tudo. Existem as chamadas soft skills, ou habilidades comportamentais, que também são fundamentais no dia a dia e que são complementares à sabedoria técnica. Criatividade, persuasão, colaboração, adaptabilidade, intelig√™ncia emocional, bom relacionamento interpessoal, organização, pensamento estratégico e gestão do tempo estão entre essas habilidades que precisam ser desenvolvidas diariamente.

"Conhecimento não é aquilo que voc√™ sabe, mas o que voc√™ faz com aquilo que voc√™ sabe"

Para concluir esta reflexão, fica aqui a frase acima, de autoria de Aldous Huxley, célebre escritor brit√Ęnico do século XX. Ela comunica a ideia de que a sabedoria sem a atitude é completamente in√ļtil. Portanto, precisamos adquirir os saberes teóricos para conduzir nossas atividades. No entanto, necessitamos da pr√°tica cotidiana para dar vida a esse conhecimento. Afinal de contas, um artista só prova os seus conhecimentos e dons quando cria uma obra de arte, não é mesmo?

Que a reflexão acima possa esclarecer as diferenças, mas também a complementaridade, que h√° entre o conhecimento técnico e o conhecimento pr√°tico. Se voc√™ gostou deste artigo, deixe o seu coment√°rio no espaço abaixo e não se esqueça de compartilh√°-lo com todos os seus amigos, colegas e familiares. Por meio das suas redes sociais, leve este conhecimento a quem mais possa se beneficiar dele!

Gostou? Então compartilha!