Cleber Augusto abre baú com músicas e gravações inéditas feitas em fitas cassetes no tempo do Fundo de Quintal

.

Cleber Augusto abre baú com músicas e gravações inéditas feitas em fitas cassetes no tempo do Fundo de Quintal
Parceiro de Jorge Aragão em sambas como 'Lucidez', artista está impossibilitado de cantar há 15 anos por ter enfrentado câncer nas cordas vocais. ? A menos de um mês de festejar 74 anos em 4 de agosto, o cantor, compositor e violonista Cleber Augusto da Cruz Bastos abre o baú de músicas e gravações inéditas, feitas em fitas cassete encontradas pelo artista recentemente.

Integrante do grupo Fundo de Quintal por 20 anos, no período que foi 1983 e 2003, o carioca Cleber Augusto – como o bamba é conhecido nas rodas de samba – convive há cerca de 15 anos com a impossibilidade de cantar em decorrência de câncer nas cordas vocais.

Por isso, a abertura do Baú de Cleber Augusto em 2 de agosto, com a edição do single Tempo feroz, tem significado especial para o artista.

"Me senti de volta aos anos 90, quando procurava realizar sonhos e arquitetar grandes amores para amansar o 'tempo feroz' e fortalecer a união", poetiza o compositor, parceiro de Jorge Aragão em sambas como Minhas andanças (1984) e Lucidez (1991).

A abertura do Baú de Cleber Augusto prevê os lançamentos de pelo menos cinco músicas inéditas gravadas em fins dos anos 1980 e início dos 1990, quando o músico já integrava o grupo Fundo de Quintal.

As cinco composições são parcerias de Cleber Augusto com Djalma Falcão, com quem o compositor fez sambas já conhecidos como Falso herói (1996) e Timidez (1997), ambos também assinados por Rogério Bicudo.

Além de Tempo feroz em 2 de agosto, estão previstos os lançamentos das músicas Tem jeito não (em 20 de setembro), Luz do meu pensar (em 8 de novembro), Caso sem futuro e Tumbeiros, estas duas últimas ainda sem datas definidas para serem apresentadas em singles.

Cleber Augusto inicia a abertura do baú com a música 'Tempo feroz'

Alexia Maltner / Estúdio 425